O SACS está 85% instalado. Quando estiver operacional, as comunicações entre Angola, África, e o continente americano serão cinco vezes mais rápidos, o tráfego deixará de passar pela Europa para chegar às Américas do Sul e do Norte.

 

Luanda, 21 de Janeiro: a multinacional angolana de telecomunicações, Angola Cables, anunciou hoje, 21 de Janeiro, em Honolulu, Estados Unidos da América, que o primeiro Sistema de Cabos Submarinos no Sul do Atlântico (SACS) está 85% instalado no mar, muito próximo de chegar à costa brasileira, no Estado do Ceará, em Fortaleza.

 

Nesse momento decorre a instalação em águas profundas, com previsão de chegar ao Brasil nas próximas semanas. De modo geral, o projecto, incluindo a instalação do cabo e toda infra-estrutura envolvente, está 62% concluído.

 

Segundo António Nunes, CEO da Angola Cables, que participa desde hoje, 21 de Janeiro, até o dia 24, de um dos maiores eventos internacionais do sector das telecomunicações, o PTC, a empresa que dirige está muito próximo da concretização de um sonho, “a construção de primeira ligação directa entre o Angola e o Brasil, uma rota muito mais eficiente para as comunicações entre o continente africano e as Américas, que trará igualmente grandes benefícios para o continente asiático e todos os países que comunicam com os destinos que são alcançados pelas infra-estruturas da Angola Cables”.

 

“Quando o SACS estiver operacional vamos registar uma melhoria significativa das comunicações entre Angola, os países africanos  e as Américas. O tempo de espera das comunicações, conhecido como latência, vai reduzir cinco vezes, passando dos actuais cerca de 350 milésimos de segundos para pouco mais de 60 milésimos de segundos” disse António Nunes.

 

Esse desenvolvimento vai reforçar o posicionamento da multinacional angolana como um player relevante no mapa internacional de telecomunicações, de tal modo que, além de ligar o continente africano aos principais centros de produção de conteúdos e serviços digitais, por ser parte importante do ecossistema internacional de telecomunicações, poderá atrair empresas tecnológicas da região para o país, por vir a ser um dos pontos de maior conectividade a nível internacional, promovendo grandes benefícios para o sector social, com destaque para a educação e, igualmente, o surgimento de uma economia digital.

A conferência PTC é umas das maiores tribunas do sector das telecomunicações, onde são tomadas decisões importantes e apresentados os mais representativos desenvolvimentos nesse ramo. Há 40 anos que é realizado, esse ano estão a participar mais de sete mil  membros, os mais representativos playres do mercado.

Sobre a Angola Cables

 

A Angola Cables é uma multinacional angolana de telecomunicações fundada em 2009, que actua no mercado grossista cujo negócio é a venda de capacidade de transmissão internacional através de cabos submarinos de fibra óptica e IP Transito. O SACS, Monet e WACS, são os três sistemas de cabo submarinos operados pela Angola Cables, que interligam quatro continentes (América do Sul, América do Norte, África e Europa). A Angola Cables dirige o Angonix, um ponto de intercâmbio de Internet localizado em Luanda e o terceiro maior de África. A Angola Cables também gere dois Datacenters, um em Fortaleza (Brasil) conectado ao SACS e Monet e outro em Luanda, conectado ao SACS e ao WACS. Para mais informações, visite http://www.angolacables.co.ao