Processo de instalação do cabo em alto mar se encontra 75% completo. Previsão de chegada à Fortaleza é entre o fim desse ano e o início de 2018

 

Luanda, Angola – O South Atlantic Cable System (SACS), primeiro cabo submarino a cruzar o Atlântico Sul está na etapa final da sua instalação entre os continentes africano e sul-americano. A Angola Cables, companhia responsável pela instalação e operação do SACS, e a NEC Corporation, empresa japonesa de integração de sistemas de cabos de fibra óptica de alta qualidade e responsável pela sua construção, contrataram a Orange Marine, renomada empresa francesa de transporte de cabo, para começar a colocação do cabo em águas profundas.

SACS: 75% completo

Como a primeira e única ligação entre Angola e Brasil, o SACS tem previsão de estar em total operação no primeiro semestre de 2018. A fase de instalação em águas profundas deve levar cerca de 90 dias e vai cobrir uma extensão de 6200 quilômetros de cabo, à mais de 5 mil metros de profundidade.

“Quando o SACS estiver totalmente pronto, em conjunto com a sua infraestrutura complementar proporcionada pelos outros cabos – WACS e Monet -, haverá uma mudança de paradigma no transporte global de dados de telecomunicações”, explica António Nunes, CEO da Angola Cables. Com o SACS em operação, clientes de varejo intercontinentais notarão uma melhora na latência equivalente a cinco vezes o que é hoje, assim como melhor acesso com a América, um dos maiores produtores e agregadores de serviços e conteúdos digitais.

“O SACS representa uma oportunidade para Angola se tornar um dos hubs de telecomunicação na África subsaariana. Investimentos em sistemas de cabos submarinos e data centers estão criando pontes digitais e aproximando continentes, mas também melhorando o acesso aos principais circuitos internacionais de telecomunicações”, completa Nunes. “Esperamos proporcionar vários benefícios econômicos para Angola, assim como para outras regiões em que tivermos a existência de redes nossas, proporcionando efeitos positivos que incluem investimentos adicionais de empresas de tecnologia que exigem altos níveis de conectividade”, finaliza.

 

Sobre a Angola Cables:

Angola Cables é uma multinacional de telecomunicações, fundada em 2009, que opera no mercado de atacado, cujo core business é a comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados por meio de um sistema de cabos submarinos. É um dos maiores acionistas da WACS (West African Cable System), fornecendo serviços de nível de operador a operadores em Angola, África e Europa, tornando-se rapidamente um dos principais fornecedores de IP por atacado na região.

Seus principais novos projetos – SACS e Monet – cabos que vão interligar três continentes: América do Sul, América do Norte e África, bem como Data Center de Fortaleza, uma instalação de tipo Tier III, interligará os seus sistemas de cabo, criando uma rede internacional ao conectar diferentes regiões econômicas.

Para mais informações, acesse o site da Angola Cables

http://www.angolacables.co.ao